sábado, 31 de outubro de 2009

MEU HOMEM







Africa.

Vida!!!

Canto do bem te vi!

Al Pacino bailando Por Una Cabeza (Perfume de Mujer)

SHANIA TWAIN - YOU'RE STILL THE ONE

Tango!!!

O URSO FAMINTO !!!



Certa vez, um urso faminto perambulava pela floresta em busca de alimento. A época era de escassez, porém, seu faro aguçado sentiu o cheiro de comida e o conduziu a um acampamento de caçadores.

Ao chegar lá, o urso, percebendo que o acampamento estava vazio, foi até a fogueira, ardendo em brasas, e dela tirou um panelão de comida. Quando a tina já estava fora da fogueira, o urso a abraçou com toda sua força e enfiou a cabeça dentro dela, devorando tudo.

Enquanto abraçava a panela, começou a perceber algo lhe atingindo. Na verdade, era o calor da tina ... Ele estava sendo queimado nas patas, no peito e por onde mais a panela encostava.

O urso nunca havia experimentado aquela sensação e, então, interpretou as queimaduras pelo seu corpo como uma coisa que queria lhe tirar a comida.

Começou a urrar muito alto. E, quanto mais alto rugia, mais apertava a panela quente contra seu imenso corpo. Quanto mais a tina quente lhe queimava, mais ele apertava contra o seu corpo e mais alto ainda rugia.

Quando os caçadores chegaram ao acampamento, encontraram o urso recostado a uma árvore próxima à figueira, segurando a tina de comida.

O urso tinha tantas queimaduras que o fizeram grudar na panela e, seu imenso corpo, mesmo morto, ainda mantinha a expressão de estar rugindo.

Quando terminei de ouvir esta história de um mestre, percebi que, em nossa vida, por muitas vezes, abraçamos certas coisas que julgamos ser importantes. Algumas delas nos fazem gemer de dor, nos queimam por fora e por dentro, e mesmo assim, ainda as julgamos importantes.

Temos medo de abandoná-las e esse medo nos coloca numa situação de sofrimento e desespero. Apertamos essas coisas contra nossos corações e terminamos derrotados por algo que tanto protegemos, acreditamos e defendemos

Para que tudo dê certo em sua vida, é necessário reconhecer, em certos momentos, que nem sempre o que parece salvação vai lhe dar condições de prosseguir.

Tenha a coragem e a visão que o urso não teve. Tire de seu caminho tudo aquilo que faz seu coração arder: SOLTE A PANELA !!!!!!!

sábado, 24 de outubro de 2009

SAÚDE E SUCOS!



Sucos Verdes: uma Revolução


mail.google.com.jpgVerduras, ou folhas verdes comestíveis, são alimentos maravilhosos. Farta e segura fonte de minerais como cálcio, magnésio, fósforo, potássio, vitaminas diversas, aminoácidos, enzimas e muita vitalidade, a ingestão de folhas verdes traz consigo uma série de benefícios.
Coletoras naturais da luz solar, as folhas verdes quando ingeridas liberam na corrente sanguínea uma substância que denominamos Clorofila, esta magnífica molécula verde que é o sangue do reino vegetal. É algo fascinante perceber a semelhança da molécula da clorofila com a molécula da hemoglobina. Apenas uma ligação química as diferencia.
Os verdes podem ser vistos como luz do sol comestível, já que é na Clorofila que colore suas folhas a responsável por capturar e processar a energia que é irradiada do astro-rei. Clorofila é luz líquida! Consumir Clorofila regularmente é como banhar os órgãos internos em luz solar, vivificando e renovando todo o sistema. É como abrir as janelas da casa num dia ensolarado. Não torna o ambiente mais agradável?
Clorofila é a fonte primária de alimentação dos animais herbívoros. Observe os cavalos, as vacas e os elefantes que não comem carne, não bebem leite (depois da infância), não comem ovos, não comem soja (naturalmente) nem feijões de qualquer tipo e no entanto apresentam notável corpulência e massa muscular. Comem, e muito, capim. E o que existe no capim? Minerais, aminoácidos e... Clorofila!
Se não como carne, nem soja, nem leite, nem ovos, onde posso conseguir as proteínas que meu corpo necessita?
Aprendemos nas aulas de ciência que as proteínas são compostas por diversos aminoácidos, assim como um jardim é composto de diversas flores. Os aminoácidos são, assim, os precursores das proteínas.
É surpreendente o quanto pouco se conhece o fato de que os verdes figuram entre as melhores e mais completas fontes de aminoácidos biodisponíveis. Isto significa que o consumo de uma quantidade e variedade apropriada de verduras fornece os tijolinhos necessários para a síntese de qualquer proteína que o corpo necessite, sem que para isto seja preciso intoxicar a corrente sanguínea com substâncias impróprias como os antinutrientes da soja, os antibióticos e hormônios artificiais e naturais presentes na carne e no leite e outras muitas substâncias que causam ao organismo dificuldades desnecessárias. Confira na tabela abaixo a quantidade de alguns aminoácidos disponíveis na couve versus a necessidade diária de um adulto:

AMINOÁCIDOSNecessidade diária de um adultoConteúdo em 500 g de Couve (crua)
Histidina560313
Isoleucina700895
Leucina9801051
Lisina840895
Methionina + Cistina840345
Fenilalanina + Tirosina9801298
Treonina490668
Triptofano245182
Valina700820
Fonte: FDA - Food and Drug Administration - USA
Basta uma breve análise dos dados nutricionais das verduras para uma compreensão precisa do potencial nutritivo dos verdes. É interessante constatar que os aminoácidos que faltam ou existem em menos quantidade em algumas folhas estão presentes em outras. Uma forma que a Inteligência da Natureza formulou para que prestemos atenção à necessidade de alternar as verduras que comemos e experimentar um pouco da imensa diversidade da Criatividade Natural. A multiplicidade da Mãe Terra e toda a variedade de espécies que esta expressa é certamente muito mais interessante que a monocultura.
Fornecer ao corpo os aminoácidos ao invés de proteínas completas (presentes na carne, no leite, nos ovos, etc.) é como construir a partir de tijolos ao invés de ter que primeiro demolir uma casa para depois utilizar seus tijolos na construção. Simplificamos o trabalho do organismo, evitamos a geração de subprodutos desnecessários e economizamos energia que seria gasta com a digestão. E para onde vai esta energia economizada? Para a faculdade de pensar, para a sensibilidade dos sentidos, para o processo de desintoxicação do organismo...
A Clorofila como um agente de desintoxicação do corpo humano
Desde tempos antigos a Clorofila é tratada como um "agente miraculoso de cura". Foi provado que a Clorofila é grande auxiliar no tratamento de câncer1 e arteriosclerose2. Abundante pesquisa científica nos mostra que dificilmente existe alguma doença que não pode ser ajudada através da ingestão de clorofila.
A composição elementar das folhas verdes as coloca entre os alimentos mais alcalinizantes do planeta. Para quem não sabe, o sangue humano é naturalmente alcalino e estar nesta condição significa sentir-se como um peixe dentro da água. Um agradável conforto se instala, a respiração se torna longa e contínua, os pensamentos se acalmam, as emoções se suavizam. Quando a corrente sanguínea está alcalinizada é muito difícil de fungos, parasitas, bactérias patogênicas e tumores se desenvolverem. Isto significa que a imunologia e a alcalinidade sanguínea estão intimamente ligadas. Algo a se considerar nos dias de hoje onde as pessoas acidifcam seu sangue a cada refeição açucarada e mal combinada, a cada noite mal dormida, a cada discussão, a cada má notícia recebida.
São diversas as suas ações do reestabelecimento da saúde promovido pela Clorofila. Além da nutrição excelente, esta molécula carrega consigo quantidades significativas de oxigênio. O oxigênio nutre as bactérias benéficas dos intestinos e é letal para fungos, bactérias, tumores e células cancerosas. Este fato por si ressalta a importância das verduras para a construção, manutenção e regeneração da boa saúde.
Como se não fosse suficiente, é possível ainda citar diversos outros benefícios das muitas qualidades desta substância extraordinária: melhoramento da qualidade e da contagem de células sanguíneas, ajuda na prevenção do câncer, prevenção e tratamento da anemia, remove toxinas da corrente sanguínea, ajuda a purificar o fígado, regula a menstruação, melhora a qualidade do leite materno, acelera a cicatrização (pode ser aplicada topicamente também), elimina odores corporais (chulé, etc.) limpa os dentes e a estrutura da gengiva, elimina mau hálito, alivia problemas de garganta, ajuda a tratar inflamações e a remover muco e catarro, torna a visão mais nítida, alivia hemorróidas, alivia dores e fortalece todo o sistema imunológico.
Parece propaganda de algum produto milagroso, é na verdade é. A diferença é que não estou tentando vender nada, mas simplesmente disponibilizar o conhecimento do tesouro que temos espalhado em nosso planeta, crescendo incessantemente por toda parte e em diversas formas, tão acessível e tão necessário para esta civilização que sofre por pura falta de saber.
Muito interessante, mas o que fazer se não gosto de verduras?
Tudo bem, verduras decerto não são, à primeira vista, as mais atraentes opções disponíveis ao paladar. Tem gente que detesta, tem gente que gosta, mas uma coisa é fato: quase ninguém ingere uma quantidade significativa destes vegetais.
Observando minha infância relembro meus momentos de sofrimento diante da possibilidade de comer verduras. Tremia só de pensar na hora do almoço. Quando encontrava qualquer verdinho dentro da sopa passava minutos “pescando” com a colher até que não restasse um único. Só aí podia comer com tranqüilidade. Entendo como se sentem as crianças "fresquinhas"...
A dieta moderna, repleta de estimulantes de paladar como açúcar, frituras salgadas e molhos temperados torna difícil a tarefa de apreciar sabores suaves e diferentes, como o levemente amargo dos vegetais. Quantas pessoas trocariam uma pizza por um prato cheio de rúcula? Assim sendo, temos uma dificuldade natural para comer uma quantidade significativa de folhas verdes.
Mesmo aquelas pessoas que afirmam comer “bastante salada” possivelmente se enquadram no perfil de pessoas que poderiam se beneficiar de uma ingestão maior de verdes. Afinal, muitas vezes o termo “bastante salada” se refere a um prato com duas folhas de alface, quatro de rúcula, cenoura ralada e duas fatias de tomate. Como se pode observar, quase nada de folhas verdes. Estima-se através de análises do FDA americano que uma quantidade diária significativa de folhas verdes por pessoa seria algo como um molho de salsinha, ou seis folhas de couve.
Foi constatado através de várias pesquisas que o homem tradicionalmente come pouca quantidade de verdes em sua dieta. Talvez pelo sabor pouco atraente. Pior: a maioria das pessoas não mastiga suficientemente as verduras para que todos os nutrientes sejam liberados para uso do organismo.
Neste ponto é perceptível a necessidade de uma alternativa viável para se usufruir dos inúmeros benefícios destes notáveis alimentos de uma maneira condizente com a necessidade atual das pessoas: rapidez, praticidade, economia e sabor agradável.
A Revolução dos Sucos Verdes
Sou plenamente a favor do uso da tecnologia a serviço do homem, desde que esta esteja harmonizada com a Natureza. Hoje já temos possibilidades reais de transformar a relação atual de que desenvolvimento tecnológico significa destruição ecológica. Energia magnética, limpa e sem custo, biocombustível, bioconstrução, reciclagem, bioplástico, ecovilas, todos estes mecanismos fazem parte de um possível futuro do desenvolvimento humano neste planeta.
Dentro deste contexto de tecnologias bem utilizadas, a sugestão é começar com algo já disponível e existente em grande parte dos lares: o liquidificador. Este equipamento (ainda) barulhento é, na minha compreensão, subutilizado pela maioria das pessoas. Com este simples aparelho e um pouquinho de conhecimento é possível criar inúmeros pratos utilizando somente ingredientes saudáveis. Pães e bolos naturais, leite e queijos de sementes, molhos deliciosos e o protagonista deste artigo: o suco verde.
O suco verde é algo especial por uma série de motivos. Seu preparo é rápido e fácil, seu custo é baixo e o fato de ser batido dispensa o tempo de mastigar (não que alguém mastigue devidamente hoje em dia) necessário para quebrar a estrutura da planta e deixar os nutrientes acessíveis, facilitando a assimilação dos mesmos. Além disso, tem a virtude de tornar o sabor das verduras acessível para qualquer um, até mesmo crianças "fresquinhas". O segredo? A combinação de folhas verdes com frutas.
Muitas pessoas intuitivamente ou por conhecimento compreendem que vegetais e frutas não se combinam em termos digestivos. Isto se dá em muitos casos (experimente comer melancia com cenoura e veja como o seu estômago reage), mas recentemente foi observado que frutas e folhas combinam entre si muito bem. Chimpanzés dão prova disto ao comer sanduíches de bananas enroladas em folhas de alface.
Surpreendo-me sempre com as combinações de sabor que surgem experimentando diversas misturas. Manga, banana e salsão. Pêra com folhas de beterraba. Maçã, couve e hortelã. As possibilidades são muitas, mas não quero deixar de expressar minha mais deliciosa preferência: manga e coentro.
É tudo muito simples: um pouco de água no fundo do liquidificador, as frutas, as folhas, bater, servir, beber. Quanto mais fresco melhor. Caso seja possível usar água de coco verde (fresca, não aquelas de caixinha) no lugar da água comum, considere-se um ser afortunado.
As frutas devem estar sempre bem maduras e, sempre que possível, recém colhidas, assim como as folhas. Quanto mais próximas de seu local de cultivo mais vitalidade trazem consigo.
Muito importante, diria até fundamental é a preferência por hortaliças orgânicas, de preferências cultivadas por produtores que cuidem de uma boa remineralização do solo. Hortaliças banhadas com agrotóxicos (agro – tóxicos = venenos da agricultura) e cultivadas com adubos químicos, além de poluir a corrente sanguínea daqueles que delas se alimentam dificilmente trazem dentro de si todos os minerais e elementos promotores de saúde que esperamos estar ingerindo quando comemos vegetais.
Viajando pela Califórnia pude me maravilhar com a grande variedade de verduras disponíveis nos mercados orgânicos. Quatro tipos de couve, cinco de acelga, três de salsa, dezenas de alfaces diferentes . Lá aprendi que as folhas da beterraba não devem ser jogadas fora, mas priorizadas sobre a raiz pois chegam a ter uma concentração de até 600 vezes mais nutrientes do que esta. Foi também lá que vi alguns produtores especializados no fornecimento de ervas daninhas comestíveis, deliciosas e ainda mais nutritivas do que as hortaliças tradicionais. Somando-se os diversos tipos de brotos era realmente de causar espanto a enorme diversidade de verduras em seus muitos subtons de cor que agraciavam as bancas de produtores orgânicos. Bem diferente da mesmice da oferta de nosso país. Será porque não temos um bom solo? Será porque as sementes são muito caras? Nada disso. A única coisa que nos falta é interesse para conhecer e valorizar estes tesouros vivos do reino vegetal e incentivar os produtores através de nosso poder de compra. Simples assim.
A Transformação da Saúde
Com algum tempo de sucos verdes diariamente em sua dieta você pode começar a experienciar alguns pequenos “milagres”. Um exemplo. Das verduras se obtém farto suprimento de magnésio, mineral responsável pelo bom funcionamento do coração, o relaxamento das artérias e de todo o organismo. Quando se ingere uma quantidade satisfatória deste mineral é possível observar uma tendência à tranqüilidade, à ausência de stress, à boa circulação sanguínea. A flexibilidade aumenta em nível físico e em nível mental.
O corpo tem uma inteligência própria. Muitas vezes os desejos por determinado alimentos se relacionam com suas necessidades. Grande parte dos casos de pessoas viciadas em chocolate, por exemplo, relaciona-se à deficiência de magnésio (o cacau é rico em magnésio). O que acontece quando o corpo reconhece os sucos de folhas verdes como fonte pura, superior e sem efeitos colaterais deste mineral? Isso mesmo: aquela vontadezinha quase incontrolável por uma barra de chocolate em determinados momentos pode se transformar num saudável salivar por um maço de salsas. Parece impossível, mas aconteceu comigo, um ex-chocólatra devorador de barras enormes que hoje olha para o chocolate como alguém olha para um pedaço de madeira. Ou melhor dizendo, como um adolescente que olha para o brinquedo que gostava muito quando era criança e percebe que cresceu.
Assim é a inteligência do corpo, este brilhante veículo biológico projetado pela maior de todas as inteligências: a Natureza. Dê ao corpo o combustível ideal e perceba sua disposição em manifestar sua programação original: Saúde.
Percebo hoje que na muitas vezes difícil tarefa de mudança de hábitos alimentares é mais fácil para as pessoas acrescentar do que retirar. Talvez a mais incrível conseqüência da inclusão dos sucos verdes na alimentação diária seja a transformação automática dos hábitos alimentares. Sim, pois ao nutrir, alcalinizar e oxigenar o organismo, os fungos e parasitas vão perdendo seu lugar cativo e seu poder de sugerir ao corpo que se alimente com aquilo que os alimenta: açúcar, alimentos refinados e outras inconveniências. É assim com os "miraculosos" sucos verdes: acrescente-os em sua dieta e observe, sem esforço, os maus hábitos caírem por terra e os bons hábitos chegando naturalmente. Você consegue imaginar o valor desta ferramenta?
Mais fácil do que imaginar é praticar. Comece amanhã mesmo se lhe interessar. Esta é uma proposta de revolução ecológica que começa dentro de cada um. É um movimento suave em busca da evolução de toda a humanidade. Simples, econômico, agradável e praticável. Associe a cor verde com a Saúde e logo perceba os bons frutos desta sabedoria se manifestando em sua vida. E viva!
Preparando os Sucos Verdes
Os sucos verdes podem ser elaborados utilizando-se água de coco ou água comum. Dividem-se em dois tipos, os cremosos e os tipo néctar.
Néctar (recomenda-se coar e consumir em menos de 10 minutos) :
Ex:
  • Água de coco, Maçã, Couve (ou folhas de Brócolis) e Hortelã
Cremosos (não é preciso peneirar):
Ex:
  • Manga e Coentro
  • Manga e Rúcula
  • Manga e Manjericão
  • Manga, Pêssego e Salsinha
  • Maçã, Manga e Babosa (um pouco do gel transparente que reside no interior da folha)
  • Banana, Morango e Alface
  • Banana, Manga e Salsão (talo e folhas)
  • Banana, salsão e amoras
  • Uvas rosadas (sem sementes), Alface e Banana
  • Pêssego e Acelga (folhas verde-escuras)
  • Pêras (maduras), Hortelã e Couve
  • Kiwis (bem maduros), Banana e Salsão
  • Experimente um levemente salgado (como uma sopa fresca):
  • Alface, Manjericão, Limão, Abacate, Cebolinha e Salsão
Dicas importantes:
  1. As quantidades de frutas, folhas e água não foram fornecidas para que você possa ajusta-las de acordo com seu gosto. No princípio é comum que você comece bebendo um suco verde claro e gradualmente sinta-se inclinado para ir colocando mais e mais folhas verde-escuras conforme seu paladar se ajusta. É bom ir devagar nas mudanças. A Natureza não dá saltos.
  2. Experimente substituir a sua refeição matinal por uma generosa quantidade de um suco verde bem saboroso por quinze dias e perceba o que acontece com seu corpo.
  3. Fresco é sempre melhor, mas os sucos mais encorpados (cremosos) podem ser armazenados por até dois dias em temperaturas frias.
  4. Você pode experimentar passar um dia tomando apenas sucos verdes para descansar o aparelho digestivo e possibilitar uma desintoxicação do organismo. Se sentir-se confortável com isto pode estender seu experimento para dois, três, quatro dias...
  5. Lembre-se sempre de que as possibilidades de misturas são quase infinitas. Evite apenas misturar melancia e melões com folhas. Se você sentiu que alguma mistura não lhe caiu bem, tente outras misturas. Cada organismo funciona de uma forma e muitas vezes o que é ótimo para alguém não serve para você.
  6. Uma colher de sobremesa de óleo de linhaça no suco garante inúmeros benefícios extra e fornece os preciosos e raros ômega-3. Óleo ou leite de coco natural (não o industrializado) também é uma excelente inclusão para multiplicar o fator de nutrição do suco e transformá-lo em nutrição completa.
  7. É sempre bom enfatizar a importância de rotacionar os verdes para garantir uma nutrição completa. Além disso, cada verdura possui um tipo de alcalóide, substância que limita o consumo repetido de uma mesma folha e não devem ser consumidos com frequência. Caso contrário, com cinco dias seguidos de suco de couve o corpo acumula uma certa quantidade deste alcalóide e você não vai nem conseguir olhar para uma folha de couve por um bom tempo. Deslumbrante a Sabedoria da Natureza, não é mesmo?
  8. Flavio Passos
    www.terradourada.org


    Bibliografia:
    Green for Life, Victoria Boutenko, Raw Family Publishing
    Estudos citados:
    1 – Chermonowsky, S. et. Al. “Efeito da Clorofila Dietética na Mutagênese e Crescimento das células Tumorais”, 79:313-322, 1999
    2 – Efeito da Cuprofilina em Experimentos com a Arteriosclerose. Romênia, Instituto de Saúde Pública e Pesquisa Médica, 1995

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Morrer é preciso!


Num artigo muito interessante, Paulo Angelim, que é arquiteto, pós-graduado em marketing, dizia mais ou menos o seguinte

nós estamos acostumados a ligar a palavra

morte apenas a ausência de vida e isso é um erro

existem outros tipos de morte

e precisamos morrer todo dia

a morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação.

não existe planta sem a morte da semente, não existe embrião sem a morte do óvulo

e do esperma, não existe borboleta

sem a morte da lagarta, isso é óbvio

a morte nada mais é que o ponto de partida para o início de algo novo

a fronteira

entre o passado e o futuro

se você quer ser um bom universitário, mate dentro de você o secundarista aéreo que acha que ainda tem

muito tempo pela frente

quer ser um bom profissional?
então mate dentro de você

o universitário descomprometido

que acha que a vida se resume

a estudar só o suficiente para fazer

as provas

quer ter um bom relacionamento?
então mate dentro de você o jovem inseguro, ciumento, crítico, exigente, imaturo, egoísta ou o solteiro solto que pensa que pode fazer planos sozinho, sem ter que dividir espaços, projeto e tempo com mais ninguém

quer ter boas amizades?

então mate dentro de si a pessoa insatisfeita e descompromissada, que só pensa em si mesmo. mate a vontade de tentar manipular as pessoas de acordo com a sua conveniência. respeite seus amigos, colegas de trabalho e vizinhos

enfim todo processo de evolução exige que matemos o nosso "eu" passado, inferior

e qual o risco de não agirmos assim?
o risco está em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo o nosso foco, comprometendo essa produtividade, e, por fim prejudicando nosso sucesso

muitas pessoas não evoluem porque ficam se agarrando ao que eram, não se projetam para o que serão ou desejam ser

elas querem a nova etapa, sem abrir mão da forma como pensavam ou como agiam

acabam se transformando em projetos acabados, híbridos, adultos infantilizados

podemos até agir, às vezes, como meninos, de tal forma que mantemos as virtudes de criança

que também são necessários: brincadeira, sorriso fácil, vitalidade, criatividade, tolerância, etc.

mas, se quisermos ser adultos, devemos necessariamente matar atitudes

infantis, para passarmos a agir como adultos

quer ser alguém (líder, profissional, pai ou mãe, cidadão ou cidadã, amigo ou amiga)

melhor e evoluído?

então, o que você precisa matar em si, ainda hoje, é o "egoísmo" é o "egocentrismo", para que nasça o ser que você tanto deseja ser

pense nisso e morra.

mas, não esqueça de nascer melhor ainda

o valor das coisas não está no tempo em

que elas duram, mas na intensidade

com que acontecem

por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis

F e r n a n d o

P e s s o a

domingo, 18 de outubro de 2009

Amizade!















Acaso!
















Nem sempre convém virarmos a página,por vezes as é preciso rasga-la



Tempo e amor!
















O amor é quando a gente mora um no outro!



Pessoas e ausência!













O básico e o essencial!













A vida é um eco se vc ñ está gostando do que está recebendo,observe o que está emitindo!

ESCUTAR















A música é o modo divino de contar belas e poéticas coisas ao coração!











A CANÇÃO DOS HOMENS



Quando uma mulher, de certa tribo da África, sabe que está grávida, segue para a selva com outras mulheres e juntas rezam e meditam até que aparece a “canção da criança”.
Quando nasce a criança, a comunidade se junta e lhe cantam a sua canção. Logo, quando a criança começa sua educação, o povo se junta e lhe cantam sua canção. Quando se torna adulto, a gente se junta novamente e canta. Quando chega o momento do seu casamento a pessoa escuta a sua canção.
Finalmente, quando sua alma está para ir-se deste mundo, a família e amigos aproximam-se e, igual como em seu nascimento, cantam a sua canção para acompanhá-lo na "viagem".
"Nesta tribo da África há outra ocasião na qual os homens cantam a canção. Se em algum momento da vida a pessoa comete um crime ou um ato social aberrante, o levam até o centro do povoado e a gente da comunidade forma um círculo ao seu redor.
Então lhe cantam a sua canção". "A tribo reconhece que a correção para as condutas anti-sociais não é o castigo; é o amor e a lembrança de sua verdadeira identidade. Quando reconhecemos nossa própria canção já não temos desejos nem necessidade de prejudicar ninguém." "Teus amigos conhecem a "tua canção" e a cantam quando a esqueces. Aqueles que te amam não podem ser enganados pelos erros que cometes ou as escuras imagens que mostras aos demais.
Eles recordam tua beleza quando te sentes feio; tua totalidade quando estás quebrado; tua inocência quando te sentes culpado e teu propósito quando estás confuso.
(Tolba Phanem)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

BAGAGEM


Quando sua vida começa,
você tem apenas uma mala pequenina de mão...

À medida em que os anos vão passando,
a bagagem vai aumentando.
Porque existem muitas coisas
que você recolhe pelo caminho...
Você pensa que elas são importantes.
A um determinado ponto do caminho
começa a ficar insuportável
carregar tantas
coisas.
Pesa demais!
Então você pode escolher:
Ficar sentado
à beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é muito difícil...
Todos que passarem por
ali já terão sua própria bagagem.
E você poderá ficar a
vida inteira esperando... ou
...ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala.
Mas, o que tirar?
Comece tirando
tudo para fora, e
vendo o que tem dentro...
AMOR
Nossa!!!
Tem bastante...

AMIZADE
E não pesa nada!!!
AMOR
AMOR
AMIZADE
AMIZADE
AMIZADE
AMOR
Mas tem algo pesado...
Você faz força para tirar...
Aí você começa a tirar, tirar e aparecem
É a RAIVA - como ela pesa!!!
a INCOMPREENSÃO,
o MEDO,
o PESSIMISMO...
Nesse momento, o DESÂNIMO
quase te puxa pra dentro da mala...
Mas você puxa-o para fora com
toda a força, e aparece um SORRISO que
estava sufocado no fundo da sua bagagem...
Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a FELICIDADE...
Você coloca as mãos dentro da mala de novo e
Agora, você vai ter que
procurar a PACIÊNCIA
dentro da mala, pois vai
precisar bastante...

tira pra fora a TRISTEZA...
Procure então o restante:
Tire a PREOCUPAÇÃO, também, e deixe de lado.
Depois você pensa
o que fazer com ela...

ENTUSIASMO ESPERANÇA CORAGEM
FORÇA EQUILÍBRIO TOLERÂNCIA
RESPONSABILIDADE FÉ BOM HUMOR
Então...
Mas pense bem no que vai colocar lá dentro!!!
Agora é com você...
Sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo!
E não se esqueça de fazer isso mais vezes...
Pois o
caminho
é
muito,
MUITO
LONGO.
Mas você poderá caminhar pela vida em paz...
É só escolher
o que levar
na bagagem!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

PERDAS

Há horas em nossa vida que somos tomados por uma enorme sensação de inutilidade, de vazio. Questionamos o porquê de nossa existência e nada parece fazer sentido.
Ao nascer, perdemos o aconchego,a segurança e a proteção do útero.Estamos, a partir de então, por nossa conta.Sozinhos.
Começamos a vida em perda e nela continuamos.Paradoxalmente, no momento em que perdemos algo, outras possibilidades nos surgem. Ao perdermos o aconchego do útero, ganhamos os braços do mundo. Ele nos acolhe: nos encanta e nos assusta, nos eleva e nos destrói. E continuamos a perder e seguimos a ganhar.
Perdemos primeiro a inocência da infância.A confiança absoluta na mão que segura nossa mão, a coragem de andar na bicicleta sem rodinhas por que alguém ao nosso lado nos assegura que não nos deixará cair...
E ao perdê-la, adquirimos a capacidade de questionar Por que? Perguntamos a todos e de tudo. Abrimos portas para um novo mundo e fechamos janelas, irremediavelmente deixadas para trás.Estamos crescendo.
Nascer, crescer, adolescer, amadurecer, envelhecer, morrer...Vamos perdendo aos poucos alguns direitos e conquistando outros.
Perdemos o direito de poder chorar bem alto, aos gritos, mesmo quando algo nos é tomado contra a vontade. Perdemos o direito de dizer absolutamente tudo que nos passa pela cabeça sem medo de causar melindres.
Receamos dar risadas escandalosamente e evitamos assuntos constrangedores.
Estamos crescidos e nos ensinam que não devemos ser tão sinceros.
E aprendemos.E vamos adolescendo, ganhamos peso,ganhamos altura, ganhamos o mundo.Neste ponto, vivemos em grande conflito.
O mundo todo nos parece inadequado aos nossos sonhos. Ah! os sonhos!!!Ganhamos muitos sonhos. Sonhamos dormindo, sonhamos acordados, sonhamos o tempo todo. Aí, de repente, caímos na real!
Estamos amadurecendo, todos nos admiram.Tornamo-nos equilibrados, contidos, ponderados.Perdemos a espontaneidade. Passamos a utilizar o raciocínio, a razão acima de tudo.
E continuamos amadurecendo, ganhamos um carro novo, um companheiro, ganhamos um diploma. E desgraçadamente perdemos o direito de gargalhar, de andar descalço, tomar banho de chuva, lamber os dedos e soltar pum sem querer. Já não pulamos mais no pescoço de quem amamos e tascamos-lhe aquele beijo estalado, mas apertamos as mãos de todos.
Ganhamos novos amigos, ganhamos um bom salário, ganhamos reconhecimento, honrarias, títulos honorários e a chave da cidade. E assim, vamos ganhando tempo, enquanto envelhecemos. De repente percebemos que ganhamos algumas rugas, algumas dores nas costas (ou nas pernas), ganhamos celulite, estrias, ganhamos peso e perdemos cabelos.
Nos damos conta que perdemos também o brilho no olhar, esquecemos os nossos sonhos, deixamos de sorrir, perdemos a esperança.Estamos envelhecendo. Não podemos deixar pra fazer algo quando estivermos morrendo. Compreender que as perdas fazem parte,mas que apesar delas, o sol continua brilhando e felizmente chove de vez em quando,que a primavera sempre chega após o inverno,que necessita do outono que o antecede.
Que a gente cresça e não envelheça simplesmente.Que tenhamos dores nas costas e alguém que as massageie. Que tenhamos rugas e boas lembranças.Que tenhamos juízo mas mantenhamos o bom humor e um pouco de ousadia. Que sejamos racionais, mas lutemos por nossos sonhos. E, principalmente, que não digamos apenas eu te amo, mas ajamos de modo que aqueles a quem amamos, sintam-se amados mais do que saibam-se amados.
Afinal, o que é o tempo?Não é nada em relação a nossa grande missão. E que missão! Que missão? Mas a que você acaba de decidir tomar nas mãos!
Fique em Paz!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

AS PEDRAS GRANDES E O VASO


Um professor de filosofia queria demonstrar um conceito aos seus alunos. Ele pegou um vaso de boca larga e colocou algumas pedras dentro
Então perguntou a classe: - Está cheio? Unanimemente responderam: - Sim! O professor então pegou um balde de pedregulhos e virou dentro do vaso . Os pequenos pedregulhos se alojaram nos espaços entre as pedras grandes. então perguntou aos alunos:
- E agora, está cheio? Desta vez alguns estavam hesitantes, mas a maioria respondeu: - Sim! O professor então levantou uma lata de areia e começou a derramar areia dentro do vaso. A areia então preencheu os espaços entre os pedregulhos.
Pela terceira vez o professor perguntou: - então, está cheio? Agora, a maioria dos alunos estavam receosos, mas novamente muitos responderam: - Sim! O professor então pegou um jarro de água e jogou-a dentro do vaso. A água encharcou e saturou a areia.
Neste ponto, o professor perguntou para a classe: - Qual o objetivo desta demonstração? Um jovem e "brilhante" aluno levantou a mão e respondeu: - Não importa quanto a "agenda" da vida de alguém esteja cheia, ele sempre conseguira "espremer" dentro mais coisas! - não exatamente! Respondeu o professor, - o ponto é o seguinte:
A menos que você coloque as pedras grandes em primeiro lugar dentro do vaso, nunca mais as conseguira colocar lá dentro. Vamos! Experimente! O professor pegou então outro vaso igual, mesma quantidade de pedras grandes, outro balde com pedregulhos, outra lata de areia e outro jarro de água. O aluno começou colocando a água, depois a areia, depois os pedregulhos e por ultimo tentou colocar as pedras grandes, mas estas já não couberam no vaso, pois boa parte do vaso havia sido ocupada com as coisas menores. Prosseguiu, então, o professor:
- As pedras grandes são as coisas realmente importantes de sua vida: que são o seu crescimento pessoal e espiritual. Se você deu prioridade a isso e manteve-se "aberto" para o novo, as demais coisas se ajustarão por si só: seus relacionamentos (família, amigos), suas obrigações (profissão, afazeres), seus bens e direitos materiais e todas as demais coisas menores que completam a vida.
Se você preencher sua vida somente com coisas pequenas, como ficou demonstrado com os pedregulhos, com a areia e a água, as coisas realmente importantes, como, no exemplo, as pedras maiores, nunca terão espaço em suas vidas.
Se buscarmos no fundo da alma o que realmente são nossas prioridades, acharemos em primeiro lugar a necessidade do amor, amor ao próximo, amor de pais, amor conjugal, amor de filhos enfim todo tipo de amor e assim por diante segundo nossos anseios.
Assim faz-se mister que coloquemos esses sentimentos e sensações em ordem,assim como fez o prof. com as pedras em seqüência.... A vida caminhará organizada com resultados surpreendente, porém sem nunca esquecer do amor ao irmão......
Autor Desconhecido

TÉCNICA HOO-PONOPONO


Faz dois anos, escutei falar de um terapeuta no Hawaii que curou um pavilhão completo de pacientes criminais insanos sem sequer ver nenhum deles.
MAIS SOBRE A TÉCNICA HOO-PONOPONO

Lúcia Beatriz Schneider
HO'oponopono
por Joe Vitale
O psicólogo estudava a ficha do presidiário e logo olhava dentro de si mesmo para ver como ele tinha criado a enfermidade dessa pessoa. Na medida em que ele melhorava, o paciente melhorava.
A primeira vez que ouvi falar desta história, pensei que era uma lenda urbana. Como podia curar o outro, curando somente a mim mesmo? Como podia, embora fosse um mestre de grande poder de auto cura, curar alguém criminalmente insano? Não tinha nenhum sentido, não era lógico, de modo que descartei esta história.
Entretanto, escutei-a novamente um ano depois. Ouvi que o terapeuta tinha usado um processo de cura havaiano chamado "hooponopono". Nunca tinha ouvido falar disso, entretanto não podia tirá-lo de minha mente. Se a história era totalmente certa, eu tinha que saber mais. Meu entendimento era que "total responsabilidade" significava que eu sou responsável pelo que penso e faço. O que estiver mais alem, está fora de minhas mãos. Penso que a maior parte das pessoas pensa igual sobre a responsabilidade.
Somos responsáveis pelo que fazemos, não do que os outros fazem - mas isso está errado.
O terapeuta havaiano, que curou essa pessoas mentalmente doentes, me ensinaria uma nova perspectiva avançada sobre o que é a total responsabilidade. Seu nome é Dr. Ihaleakala Hew Len. Passamos uma hora falando em nossa primeira conversação telefônica. Pedi-lhe que me contasse a história total de seu trabalho como terapeuta.
Ele explicou que havia trabalhado no Hospital Estatal do Hawai durante quatro anos. O pavilhão onde encerravam os criminosos loucos era perigoso.
Regra geral os psicólogos desistiam de trabalhar ali em um mes. A maior parte dos membros do pessoal caiam doentes ou simplesmente renunciavam. As pessoas que atravessavam esse pavilhão caminhava com suas costas contra a parede, temerosas de serem atacados por seus pacientes. Não era um lugar agradável para viver, trabalhar ou visitar.
O Dr. Len me disse que nunca viu os pacientes. Assinou um acordo de ter um escritório e revisar suas fichas. Enquanto olhava essas fichas, trabalharia em si mesmo. Enquanto trabalhava em si mesmo, os pacientes começaram a curar-se.
"Depois de alguns poucos meses, foi permitido aos pacientes que deviam estar encarcerados, caminhar livremente" disse-me.
"Outros que tinham que estar fortemente medicados começaram a diminuir sua medicação. E aqueles que jamais teriam nenhuma possibilidade de ser liberados, tiveram alta". Eu estava assombrado. "Não somente isso" continuou, "mas o pessoal começou a ir feliz para o trabalho."
"A ausência e as mudanças de pessoal desapareceram. Terminamos com mais pessoas do que necessitávamos porque os pacientes eram liberados e todas as pessoas vinham trabalhar.Hoje esse este pavilhão está fechado."
Aqui é onde eu tive que fazer a pergunta de milhões de dólares: "O que você esteve fazendo com você mesmo, que ocasionou a mudança dessas pessoas?"
"Eu simplesmente estava curando aquela parte minha que tinha criado aquilo neles", disse ele. Eu não entendi. E o Dr. Len explicou que, entendia que a total responsabilidade de sua vida implica a tudo o que está em sua vida, simplesmente porque está em sua vida e, por isso, é de sua responsabilidade. Em um sentido literal, todo o mundo é sua criação.
Uau! Isto é duro de engolir. Ser responsável pelo que eu faço ou digo é uma coisa. Ser responsável por outro ou por qualquer outra coisa que faça ou diga na minha vida é muito diferente.Entretanto a verdade é esta: se assumir completa responsabilidade por sua vida, então tudo o que você vê, escuta, saboreia, toca ou experimenta de qualquer forma é sua responsabilidade, porque está em sua vida. Isto significa que a atividade terrorista, o presidente, a economia ou algo que experimenta e você não gosta, está ali para que cure. Isso não existe, por assim dizer, exceto como projeções que saem de seu interior. O problema não está com eles, está em você e para mudá-los, você deve mudar.
Sei que isto é difícil de captar, muito menos de aceitar ou de vivê-lo realmente. Atribuir ao outro a culpa é muito mais fácil do que assumir a total responsabilidade, mas enquanto falava com o Dr. Len comecei a compreender essa cura dele e que, o ho'oponopono significa amar a si mesmo.
Se deseja melhorar sua vida, deve curar sua vida. Se deseja curar qualquer outro, ainda que seja um criminoso mentalmente doente, faça-o curando a si mesmo.
Perguntei ao Dr. Len como curava a si mesmo. O que era que ele fazia exatamente, quando olhava as fichas desses pacientes.
"Eu simplesmente permanecia dizendo "Sinto muito" e "Te amo", muitas vezes" explicou ele.
"Só isso?" "Só isso."
"O resultado é que, amar a si mesmo é a melhor forma de melhorar a si mesmo e enquanto você melhora a si mesmo, melhora seu mundo".
Permita-me dar-lhe um rápido exemplo de como funciona isto: um dia, alguém me envia um e-mail que me desequilibra". No passado leria trabalhando com meus aspectos emocionais raivosos ou tratando de raciocinar com a pessoa que enviou essa mensagem detestável. Desta vez eu decidi provar o método do Dr. Len. Coloquei-me a pronunciar silenciosamente "sinto muito" e "te amo". Não dizia nada a ninguém em particular. Simplesmente estava invocando o espírito do amor, dentro, para curar o que estava criando a circunstância externa.
No término de uma hora recebi um email da mesma pessoa. Desculpava-se por sua mensagem prévia. Tenha em conta que eu não realizei nenhuma ação externa para obter essa desculpa. Eu nem sequer respondi sua mensagem. Entretanto, só dizendo "te amo", de algum modo curei dentro de mim o que estava criando nele.
Mas tarde assisti a uma reunião de ho'oponopono dirigido pelo Dr. Len. Ele tem agora 70 anos de idade, é considerado um xamâ avô e é algo solitário.
Elogiou meu livro "O Fator Atrativo". Disse-me que enquanto eu melhoro a mim mesmo, a vibração de meu livro aumentará e todos sentirão quando o lerem. Em resumo, à medida que eu melhoro, meus leitores melhorarão.
"E o que aconteceria com os livros que já vendi e saíram por mim?" Perguntei.
"Eles não saíram" explicou ele, uma vez mais, soprando minha mente com sua sabedoria mística. "Eles ainda estão dentro de você".
Em resumo, não há fora. Levaria um livro inteiro para explicar esta técnica avançada com a profundidade que ela merece.
"Basta dizer que toda hora que desejar melhorar algo em sua vida, existe somente um lugar onde procurar: dentro de você. Quando olhar, faça isto com amor".
Ho'oponopono
http://www.hooponopono.org/
MAIS SOBRE A TÉCNICA HOO-PONOPONO
Em hawaiano, Hoo significa CAUSA e Ponopono significa PERFEIÇÃO. Através desta técnica, temos a capacidade de fazer o correto para nosso próprio Ser, de voltar para o estado da perfeição, de colocar novamente nossa página vivencial em branco., bastando apenas pedir à Divindade que aquilo que jaz dentro de nós, aquilo que ocasionou uma divisão em nossos pensamentos, venha à superfície para ser liberado.
Ao pedir perdão à Divindade por ter hospedado pensamentos que nos separaram de nossa Unidade com o Espírito... o pensamento pernicioso e recorrente desaparece. Algumas vezes, para obtê-lo, precisa-se pedir várias vezes a fim de que a razão que está atrás do pensamento apareça na superfície e seja liberada. E quando é liberada, o espaço se enche imediatamente com um amoroso sentido de Unidade.
O Hoo-Ponopono é um processo de arrependimento, pedido de perdão e transmutação e consiste em realizar um pedido à energia do Amor Universal e Incondicional para cancelar e substituir as energias tóxicas que possam achar-se em nós. O Amor realiza o processo fluindo através da Mente Espiritual ou Supra-consciencia e continua seu fluxo através da Mente Consciente, liberando-a da excessiva racionalização para finalizar na Mente Emocional ou Subconsciente, onde anula todos os pensamentos que tenham emoções tóxicas, substituindo-os com Amor incondicional.
Não há limites no número de vezes que esta ferramenta pode ser usada, especialmente no que se refere a transmutar seus pensamentos em pura luz, os de sua família, ancestrais e descendentes, posto que esta ferramenta é um pedido para purificar os pensamentos tóxicos que causam reais divisões em sua percepção.
O Hoo-Ponopono é realmente muito simples. Para os antigos hawaianos, todos os problemas começam a ser gerados nos pensamentos. Ter pensamentos não é o problema. O problema está em todos nossos pensamentos que se encontram plenos de memórias dolorosas sobre pessoas, lugares ou coisas.
O intelecto como tal não pode solucionar esses problemas porque ele somente administra processos. Administrar coisas, não soluciona os problemas de tudo. Tem que deixar que fluam. Quando se faz Hoo-Ponopono, a Divindade encarrega-se dos pensamentos dolorosos e os neutraliza. Fazendo Hoo-Ponopono, você não purifica pessoas, lugares ou coisa alguma. Em troca, neutraliza a energia dolorosa que você associa com essas pessoas, lugares ou coisas.
Assim, a primeira etapa para fazer Hoo-Ponopono é purificar energias.
A seguir, algo maravilhoso ocorre. Não somente a energia fica neutralizada, mas sim se desprende, ficando uma nova página vazia onde escreve-se novamente outra realidade. A etapa final é permitir à Divindade atuar e preencher o vazio dessa página em branco com Luz Divina.
Para fazer Hoo-Ponopono não precisa saber qual foi o engano cometido ou qual foi o problema. Logo, você precisa perceber a existência de situações físicas, mentais ou emocionais que o estejam afligindo. Quando o fizer, sua responsabilidade baseia-se em começar imediatamente a curar a essência de tais situações,
dizendo simplesmente: "Sinto muito. Por favor, perdoe-me". Trata-se apenas de realizar um trabalho interno sobre si mesmo, para melhorar o externo.
O procedimento pessoal baseia-se em manter-se calado e centrado em si, permitindo que o processo de transmutação seja levado a cabo por si mesmo, pois se envolver seu intelecto, o processo se detém.
Se deseja resolver um problema pessoal, trabalhe sobre si mesmo. Se tiver um problema com outra pessoa, simplesmente pergunte-se: "O que existe em mim que faz que esta pessoa me ataque?". Eleve-se sobre essas situações dizendo simplesmente: "Lamento por algo que tenha acontecido ou esteja acontecendo. Por favor, me perdoe".
O bonito disto é que não terá que compreender nada a nível racional. É como navegar pela Internet. Logo, terá que ir para a Divindade e fazer clique para baixar a informação solicitada.
Por exemplo, se alguém se aproxima falando-nos que tem um certo sofrimento ou dor física, podemos perguntar à Divindade: "O que acontece comigo para que eu tenha causado dor ou sofrimento à esta pessoa?" E logo, podemos perguntar à Divindade: "Como posso equilibrar esse problema em mim?". Ou também: "Por favor, há algo que ocorre em mim que tenha causado este sofrimento nessa pessoa?
Diga-me como posso equilibrar? As respostas a essas perguntas devem vir sem esforço e a seguir deveríamos fazer o que nos é inspirado. O que importa aqui não é o efeito e sim o entendimento da origem do problema. Essa é a chave.
No caso de ser um terapeuta que use Hoo-Ponopono para ajudar a outros a curar-se, deve primeiro conectar-se com a Fonte Divina e pedir ao Amor Universal para corrigir os errados pensamentos que existam em você e que estejam sendo manifestados atualmente como um problema em você, logo, em seu cliente consultado.
Este apelo baseia-se em um processo de arrependimento e pedido de perdão por parte do terapeuta: "Eu lamento que meus pensamentos errados tenham causado situações negativas em mim e em meu cliente. Por favor, perdoe-me".
O Hoo-Ponopono vale também para tratar situações derivadas de objetos inanimados, espaços físicos que devam ser curados, etc. O limite é nossa percepção ou imaginação.
A manifestação de uma amorosa responsabilidade é o que transmuta os enganos dentro de nós que manifestam o problema (em nós ou nos outros). A atitude amorosa os cancela e os corrige. Ritual para fazer Hoo-Ponopono
Este ritual se refere a procurar curar aspectos que envolvem outras pessoas.
Todos os procedimentos hawaianos começam com uma respiração denominada Ha. Uma série de Ha consiste em inspirar durante 7 segundos (ou contando 7), reter a respiração contando 7 e exalar contando 7 vezes. Quando tiver esvaziados seus pulmões, retenham a respiração durante uma contagem de 7. Relaxe e permite que seu próprio ritmo respiratório determine por si mesmo quando pode durar sua contagem de 7.
Sente-se então com as palmas de suas mãos descansando sobre seu colo, com os polegares e dedos indicadores em contato entre si. A seguir, faça 7 ciclos de respiração tal como se explicou acima. Leia a seguinte oração em voz alta:
Divino Criador, Pai, Mãe e Filho, Todos em Um...:
Segundo suas crenças, isto pode-se substituir por:
Amado Espírito, amada Unidade de Tudo o que É.:
Se eu, meus familiares, amigos, ancestrais e descendentes de alguma maneira o ofendemos ou causamos qualquer tipo de prejuízo à você, a seus familiares, amigos, ancestrais e descendentes em pensamentos, escritos, palavras ou ações desde o princípio da criação até a data presente (pode dizer qual é a data presente),
>>transgredindo ou quebrantando a Unidade de Tudo o que É contra nós ou fora de nós para outros, então nós solicitamos humilde e modestamente ser perdoados por isso.
Por favor, pedimos que qualquer tipo de memórias, obstáculos ou energias não desejadas sejam limpas, purificadas, definitivamente desprendidas, liberadas e transmutadas em Pura Luz.
Pedimos que isto seja feito. e já se realizou.
Outras maneiras que podem ser aplicadas em várias ocasiões
Te amo e se despertei sentimentos hostis em você, sinto muito e peço-lhe perdão. Obrigado!
Lamento. Por favor, perdoe-me por algo que se encontra em meu interior e se manifesta como um problema (em mim ou em você).
Quatro técnicas Hoo-Ponopono adicionais
Técnicas para a solução de problemas que podem ser aplicados para restabelecer a própria identidade através da anulação de memórias que reproduzem freqüentemente uma e outra vez os problemas no Subconsciente.
1 - Eu te amo
Quando sua alma experimenta memórias que reproduzem várias vezes situações problemáticas, fale silenciosamente com suas memórias e lhes diga: "Amo-as, queridas memórias. Agradeço a oportunidade de libera-las e de liberar-me".
"Eu te amo" pode ser repetido muitas vezes. Suas memórias nunca saem de férias ou se retiram a menos que você o faça. "Eu te amo" pode ser usado ainda se você não estiver realmente consciente de qual é o problema. Por exemplo, pode ser aplicado antes de empreender qualquer atividade como fazer uma chamada, responder ao telefone ou antes de entrar em um veículo ao dirigir-se para qualquer lugar.
2 - Obrigado
Este processo pode ser usado sozinho ou junto com o "Te amo", repetindo mentalmente várias vezes. "Obrigado. Eu te amo". Ou simplesmente, "Obrigado!".
3. Água azul solarizada
Beber quantidades de água é uma maravilhosa prática para solucionar ou curar situações, particularmente se for água azul solarizada.
Consiga uma vasilha de vidro azul com uma tampa não metálica, enche-a de água potável e coloque a vasilha (ou a garrafa) embaixo do sol ou embaixo da luz de um abajur incandescente (não fluorescente) durante um tempo mínimo de uma hora. Depois de haver solarizado a água, pode bebê-la, cozinhar com ela, lavar frutas e vegetais, lavar o rosto ou o corpo.
Tal como acontece com o processo ""Eu te amo" e "Obrigado", a água azul solarizada apaga as memórias que causam as situações repetitivas na mente Subconsciente.
4 - Morangos e mirtilos
Estas frutas anulam memórias. Podem ser comidas frescas, desidratadas, em geléias, xaropes ou sorvetes.
http://despertarja.com/web/index.php?option=com_content&task=view&id=435&Itemid=48